História de Amor: Adna e Evandro - Quatro Estações

História de Amor: Adna e Evandro

21 julho 2015comente

Quadro MINHA HISTÓRIA DE AMOR com a participação do leitor




Pra quem é romântico e ama uma bela história de amor, hoje você vai poder conferir a história de amor  de Adna e Evandro. Uma história de amor que começou na internet. Dá pra acreditar?!

Adna é blogueira no Lendo o Dia e leitora aqui do Quatro Estações, no qual ela teve o prazer de aceitar o meu convite e participar, compartilhando conosco sua história. Confira:



A bomba: A gente se conheceu pela internet!
Evandro e eu nos conhecemos em 2008. Eu com 26 anos de idade, ele com 29. Essa era a época do boom das salas de bate-papo, e eu adorava passar o tempo livre no site da UOL/BOL, conhecendo pessoas.

Meu método era “infalível” (rsrsrs): se conhecesse alguém especial, com conversa legal, eu logo passava essa pessoa pro privado (no caso, o “privado” era o finado MSN). Além de ser mais reservado, o MSN também nos dava a chance de excluir e bloquear pessoas desagradáveis, né? Mas graças ao Bom Pai, não foi esse o caso.

Conheci Evandro num dia bem agitado. Eu estava apressada. A gente conversou rapidamente na sala virtual. Eu soube que ele lutava jiu-jitsu, achei interessante, trocamos MSN e pronto. Na verdade, nem sei direito quem foi que adicionou o outro. Só sei que, dia seguinte, quando entrei novamente no MSN, lá estava aquele estranho (engraçado, né? É como você sair com uma pessoa e estar tão bêbada que não lembra dela no dia seguinte... kkkk...) Pois é... Eu não lembrava dele.


Falou comigo: “Oi”

Respondi: “Quem é você?”
Ele respondeu: “O cara do jiu-jitsu”.

... E isso aconteceu por duas ou três vezes... Eu nunca lembrava, ele sempre respondia que era o cara do jiu-jitsu... rsrsrs

Alguns meses depois ele disse ter sido muita sorte o fato de ele ter tido paciência de se explicar sempre que eu perguntava, porque em outros momentos ele teria simplesmente me excluído... E eu acredito. Assim como acredito nos planos de Deus pra nossas vidas.
Papo vem, papo vai... Mandei convite pra ele no finado orkut, ao que ele aceitou... Então, já estávamos “nos conhecendo melhor”... Obviamente, me senti no direito de fuçar o orkut dele... E quando descobri que não era nenhum psicopata sanguinolento, trocamos número de telefone.


A princípio a gente se comunicava por mensagem de texto. Depois vieram as ligações... looongas ligações...

Combinamos um cineminha. Era Páscoa. Ele levou um ovo de chocolate enorme pra mim, e foi neste momento que me apaixonei... rsrsrs
Saímos juntos todos os dias seguintes. Íamos à pizzaria, à praia, ao shopping. Ficamos tão grudados que um dia que passássemos sem nos ver era como uma eternidade (com o perdão do clichê).

O pedido de namoro foi assim...
Ele: “Queria te perguntar se posso trocar o meu status para namorando, no Orkut...”
Eu: “Tudo bem... Você pode... Eu só queria te apresentar à minha família, antes de trocar o meu...”

Dia seguinte estávamos de status trocado... E ostentamos o status “namorando” até hoje, obrigada!
Estamos juntos há 7 anos... E cada dia ele só me surpreende mais, com seu carinho, seu companheirismo, seu apoio...
E eu desejo profundamente que vivamos ainda mais coisas juntos, para termos muita história pra contar aos nossos filhos, netos, bisnetos...
E essa é a nossa história de amor...



E pra quem quer continuar acompanhando esses dois pra ver onde essa história vai dar, confira as peripécias que eles andam aprontando lá no canal deles do youtube: Canal Lendo o Dia e se apaixone por esses dois, assim como eu.
Amei essa história. Realmente, eu diria que foi um tiro no escuro, algo assim, pela internet. Sabemos como tem gente maldosa por aí. Mas o que estava escrito, estava escrito. Ninguém pode mudar o que está no destino.

Se você também é leitor e quer participar do blog, clique aqui e saiba como participar.